Péssimo atendimento de companhias aéreas - Set/01

Voltar

Com este caso, quero mostrar o descaso que a Transbrasil, a Delta Airlines e a Tam têm por seus passageiros. Embarcaria no dia 8 de Julho no Aeroporto Internacional de Fortaleza  com destino a Montreal. Faria conexões em São Paulo e Atlanta. Sairia às 18:00, pela  Transbrasil, chegaria em SP às 21:30 e embarcaria para Atlanta às 22:50, pela Transbrasil, em vôo operado pela Delta Airlines (vôos compartilhados).

O vôo atrasou 50 minutos em Fortaleza, o que fez com que eu chegasse em SP às 22:20. Acho que foi um dos vôos mais angustiantes da minha vida, estava muito nervoso com a hipótese de perder a conexão. Quando o avião estacionou em SP, olhei pro lado e vi o MD-11 da Delta. Respirei aliviado, pois o avião ainda estava lá e, afinal, ainda faltava meia hora. Corri feito um maluco por aquele aeroporto, quase derrubando quem estava na minha frente.

Quando chego lá no setor de conexões recebo o belo recado da atendente da Trans. dizendo que eu havia perdido o vôo. "Mas como??? Eu acabei de ver o avião! Ele ainda não decolou! Aliás, ainda falta quase meia hora pra ele decolar." Disse, surpreso e cansado. A moça disse que o avião realmente ainda estava lá, mas que eu tinha que pegar um novo cartão de embarque no check-in da Delta e esta já se encontrava fechado.

Não podia acreditar... Meu vôo ainda estava lá, faltava um bom tempo pra ele decolar e eu não poderia embarcar por causa da "porra" de um pedaço de papel. Perguntei se a Trans. não podia me dar esse cartão, afinal eu tinha vindo de Fort. Por ela e o meu vôo na verdade era Trans., só que operado pela Delta. A moça disse que não, que só quem podia dar esse cartão era a própria Delta.

Eu armei um barraco, disse que era um absurdo uma companhia que tem vôo compartilhado com a outra não esperar os passageiros dessa outra, principalmente quando ainda havia tempo para o embarque. Disse também que, se o atraso tinha acontecido, com certeza não era por minha culpa. Fiz a maior confusão e disse que a Trans.tratasse de arrumar um outro vôo pra mim imediatamente.

Só que, pra piorar a situação, todos os vôos para os EUA já haviam saído (não há vôo direto pra Montreal, então, teria que fazer uma conexão nos EUA). Ainda ia sair um, só que ia pra Los Angeles, rumo completamente diferente de Montreal. Resultado: Um cara da Transbrasil marcou um vôo no outro dia, às 10:30 pela Tam, para Miami e de lá eu pegaria um American pra Montreal. Me mandaram pra um Hotel em Guarulhos, onde eu passei a noite. Estava super cansado, mas nem pude relaxar direito, preocupado com a hora no dia seguinte.

No dia 9, cheguei ao Aeroporto de Guarulhos, às 7:30, TRÊS horas antes do embarque, pra não inventarem mais nenhum problema comigo. Fiz o check-in e na hora marcada entrei no terminal de embarque. Teria 2 horas de intervalo em Miami, tempo suficiente para a conexão. Achei que meus ouvidos estivessem me pregando uma peça quando escutei alguns rumores de que o avião estava atrasado. Fui imediatamente perguntar pra moça que faria o nosso embarque e ela respondeu com aquela cara de aeromoça falsa, que quer ser sempre simpática: "O vôo está atrasado, mas desculpe senhor, é só isso que posso informar"

Eu perguntava se havia alguma previsão para a decolagem e ela respondia com a mesma cara: "Desculpe senhor, mas eu ainda não posso informar".

Fiquei nervoso de novo. Imagina se esse avião atrasa mais de uma hora... Iria perder a conexão em Miami. Se havia perdido em São Paulo, imagina em Miami, com aquele aeroporto imenso e com toda aquela "gentileza" dos americanos em resolver problemas de brasileiros.

Não demorou muito e informaram que o vôo estava marcado pra 12:00. Foi aquela agonia. Estava na maior dúvida, pois com esse atraso, podia ou não dar tempo de fazer a conexão em Miami, mas eu achava que não. E aquela confusão no saguão de embarque... Como que, para acabar com minhas dúvidas eles informam que o vôo vai sair às 15:00 horas. Estavam fazendo uma manutenção PROGRAMADA, segundo a informação da Tam. A Revolta foi geral, principalmente por se tratar de uma coisa programada. Eu é que não acreditei nisso...

O avião devia estar com problema, eles estavam consertando e não queriam causar medo nas pessoas, medo de andar num avião recém-consertado. Lá estava eu de novo com problemas no vôo... Quando já me sentia dentro do avião, veio essa "novidade"! E o pior é que mais ou menos 50% do vôo ia fazer conexão em Miami e, com o atraso, tinham perdido-as. Simplesmente todo esse povo que tinha perdido as conexões em Miami resolveu ir na Saletinha da Tam pra remarcar seus vôos de Miami para os seus destinos finais.

Como é que a Tam, num aeroporto como Guarulhos, onde devem ocorrer centenas de casos de vôos cancelados, atrasados, etc. tem coragem de colocar míseras 2 pessoas para atender aos passageiros... Imaginem a confusão que rolou lá dentro da sala. Era gente berrando, gritando, se desesperando, enfim, era o caos e eu lá, no meio desse caos, quando, pelo tempo, já deveria estar curtindo minhas férias no Canadá. Depois de muito grito e de eu quase invadir o espaço das atendentes, uma delas resolveu me atender: Detalhe: o vôo que eu pegaria em Miami era o último para Montreal. Depois do vôo das 19:30 (que era o que eu pegaria), não tinha mais nenhum vôo pra Montreal. Resumindo: voltei para o Hotel e ficaram de arranjar um vôo à NOITE para mim.

Parece piada... Lá estava eu de volta ao hotel! Disseram  que tentariam me embarcar no vôo da Continental, às 20:40, para Newark e de lá eu ia pra Montreal, também de Continental. Voltei ao Aeroporto às 17:40 para falar com a Fulana, que me disse que quando eu voltasse ao aeroporto tudo já estaria resolvido. Cheguei lá na maldita sala da Tam e a fulana não estava. Perguntei para as outras se ela tinha deixado algum recado para mim e contei meu caso.

Elas disseram que não sabiam de nada, que não tinha recado algum e fizeram pouco caso do meu problema. Ah, disseram que a fulana esta em horário de jantar. Eu fiquei muito aflito e pedi a elas que ligassem pra fulana, pra saber o que tinha ficado resolvido. Elas tiveram a coragem de dizer que a fulana estava jantando e que horário de jantar era sagrado. Por nada nesse mundo elas interromperiam o jantar da amiga. Quando eu ameacei fazer uma confusão Homérica e comecei a bater na mesa delas, uma resolveu ligar pra fulana e eu ouvi quando ela disse: " Olha, aquele cara do vôo pra Montreal está aqui, o que eu faço?" Ou seja, ela sabia perfeitamente quem era eu e o que eu queria. Só que, pra poupar trabalho e por serem um bando de preguiçosas preferiram me ignorar. Depois chega a fulaninha, toda presunçosa, como se tivesse fazendo um grande favor em me atender e em cumprir um horário que ela mesma marcou.

Pois bem, depois de toda essa novela, me levaram ao embarque da Continental, onde, finalmente, desde que saí de Fortaleza, fui bem atendido. O vôo saiu na hora e cheguei em Montreal no dia 10, um dia depois do que estava previsto. Tudo por causa da falta de organização e  estrutura da Transbrasil e da Tam.

Daniel Barsi
Fortaleza / CE

 

 

Mande o seu diário também, clicando na cartinha ao 
lado, e conte para outros internautas como foi a sua viagem