Passeio ao Hopi Hari - Ago/00

Voltar

Fui ao parque de diversões Hopi Hari, que fica em São Paulo, próximo à Vinhedo e me diverti muito lá.

A idéia deles é muito boa pois o  Playcenter já está muito saturado. Quem já foi ao Playcenter sabe que vai ficar horas em uma fila e há poluição porque sua localização fica próxima da marginal Tietê e do próprio rio Tietê. 

As pessoas acabam se estressando mais do que se divertindo, fora que tem atrações que você paga a parte além do que você já pagou na entrada.

  

O preço não é muito convidativo lá no Hopi Hari, R$35,00, mas eu garanto que compensa. Tem onibus que sai de alguns shoppings e da estação Barra Funda (R$10,00 ida e volta), o estacionamento para o carro é o mesmo preço. O parque tem 760 mil km2. Há armários que você pode alugar dentro do parque para deixar suas coisas (R$5, 00). 

O Hopi Hari é um parque temático. O parque todo seria um  país, onde nós (visitantes) teríamos que tirar um visto de entrada (o bilhete de entrada). Ao entrar tem um fato curioso e divertido. Há vários detectores de metal depois da catraca, como se fosse em um aeroporto e que aciona o alarme sempre que uma pessoa entra. Logo na entrada tem um grupos de pessoas fantasiadas que recepcionam os visitantes.

O parque é subdividido em 5 regiões. Em cada região os brinquedos, as casas, tudo foi construído de acordo com o tema. Uma das regiões é a Wild West, que foi construída à imagem do oeste americano. Tem todas aquelas coisas que acostumamos a ver nos filmes, como uma carruagem em um gramado, o bar (Sallon), cocheira, casas construídas bem no ambiente do velho oeste.

Tem outra região que se chama Mistieri, onde as casas são no estilo Egito, onde tem pirâmides, tumbas, catacumbas, etc... Nas paredes das casas há  hieróglifos pintados, bem no estilo Indiana Jones. A foto ao lado é a  Montezum (a Montanha Russa) que, como diz o mapa do parque, é a 5ºmaior montanha russa de madeira do mundo! Ela tem mais de um quilômetro de extensão e seus carrinhos atingem 108 Km/h. Foram  colocadas, na última descida da Montanha, câmeras estrategicamente posicionadas que firam fotos de todas as pessoas do carro. É muito divertido ver sua cara de desespero na descida. Eles vendem essas fotos mas é uma pequena facada (R$7,00 cada). Acho que se fosse um pouco mais barato muita gente iria comprar.

Há uma área onde tem brinquedos mais próximos das crianças abaixo de 7 anos, é a região Infantasia. Tem vários brinquedos para essa faixa etária, como na foto ao lado. Nesse lugar as crianças ficam brincando no meio dessa água toda! Vários tubos com água ficam jorrando nesse espaço, e as crianças pode brincar lá dentro.

Falando em água, tem mais dois brinquedos aquáticos. Um, que eu e meus amigos fomos apenas para nos molhar, é o Kidsplesh. A voltinha que ele dá é meio sem graça, mas queda molha todos que estão no barco. e tem o Rio Bravo que é um barquinho legal que fica girando enquanto passeia.

Um ponto interessante é que em todas as saídas dos brinquedos tem uma loja de venda de artigos do parque, bem comercial mesmo. Eles exploram muito bem essa parte. Tem produtos relacionados com os brinquedos que acabam de passar, camisetas, mochilas e várias coisas com o logotipo do parque..

Uma outra curiosidade é que nas filas dos brinquedos há um tubo fino, uns três metros do chão, que fica espirrando um vapor d’água. Você não fica molhado, esse vapor tem o objetivo apenas de refrescar o pessoal. Tem praticamente em todos as filas de brinquedos.
As atrações do Hopi Hari não diferem muito das do Playcenter. Praticamente todos os brinquedos tem lá. A grande diferença entre os parques é que o Hopi Hari não tem um grande público (ainda). Você pode ir várias vezes nos brinquedos mais requisitados.

O ambiente do parque é muito agradável. Ele foi construído longe da capital, em uma região mais arborizada. Há vários lagos que o atravessam, há jardins e lugares com muito verde. Tem várias lanchonetes e áreas de alimentação.
Os preços de lanches e refrigerantes, como eu já esperava, são um pouco excessivos, mas isso não é surpresa por se tratar de um grande parque. 

Todos os lugares são bastante limpos,.Eu não lembro de ter visto um papel no chão enquanto estava por lá e os banheiros também são muito limpos. Parece até que estamos no primeiro mundo.

Um dos primeiros brinquedos do parque à partir da entrada é La Tour Eiffel (o famoso elevador) onde a pessoa sobe 69,5 metros e despenca a uma velocidade de 94km/h. É o maior brinquedo do parque, maior até do que a montanha russa. É realmente assustador quando o carrinho fica parado no alto por alguns segundos e você apenas espera a hora de gritar!  

Fui 5 vezes nele. Um dos melhores brinquedos do parque, junto com a Montezum e o Katapul A base dela tem uma estrutura parecida com a torre Eiffel de Paris..  

Se você olhar no topo da figura ao lado vai ver os carrinhos no momento da queda. Há 5 carrinhos e cada descida dá pra ir até 20 pessoas. 

Uma coisa chata é uma música que eles ficam tocando nos alto-falantes. É como se fosse o hino do Hopi Hari. No começo eu achei legalzinha, mas depois é um saco! Quando chega próximo das 20h00 eles aumentam o volume daquela música, acho que é para que as pessoas vão embora logo. O pior é que é uma única música que se repete. 

O parque é uma boa alternativa para diversão no fim de semana. Depois de ir à esse parque, não espero ir ao Playcenter tão cedo. Um bom passeio para as pessoas de outras cidades e Estados também.

Mais Fotos
- Foto1  - Foto2  - Foto3

Reportagem : Luis N. da Silva

 

 

Mande o seu diário também, clicando na cartinha ao 
lado, e conte para outros internautas como foi a sua viagem