Desrespeito e mau atendimento na TAM de Viracopos - Out/02

Voltar

Vejam que absurda essa história, ocorrida em março no aeroporto de Viracopos, em Campinas (SP) :

"Acompanhada de meu marido e três filhos (de 12, 6 e 4 anos de idade), dirigimo-nos para o check-in da TAM no aeroporto de Viracopos em Campinas (SP), às 7:10 hs da manhã, uma hora antes do vôo para Belo Horizonte (Pampulha), na sexta-feira 29 de março de 2002. 

A funcionária que nos atendeu - de nome Daniele - solicitou as certidões de nascimento originais dos meus filhos e nós tínhamos apenas uma cópia não autenticada desses documentos, pois não haviam nos avisado dessa obrigatoriedade e não constava essa informação no bilhete de passagem. Sempre viajamos dessa maneira e nunca tivemos problemas.

Nós tínhamos outros documentos das crianças conosco, que atestavam a paternidade/maternidade, mas ela negou-se a examiná-los e disse-nos que fôssemos buscar os documentos em casa.

Conversamos educadamente com a moça, explicando que morávamos em Sousas, muito distante do aeroporto, e que se fôssemos até nossa casa provavelmente perderíamos o vôo. Falamos inclusive que o motivo de nossa viagem era uma emergência de saúde. Ela manteve sua postura e sugeriu-nos que pegássemos um outro vôo, três horas e meia depois e R$ 324,00 mais caro.

Ficamos irritados e perguntamos quem era o supervisor dela. Ela nos disse que ela era a supervisora, que não havia mais ninguém acima dela na TAM e que ninguém poderia nos ajudar.

Em vista desse impasse, meu marido decidiu arriscar e ir até nossa casa. Esse percurso, que levaria no mínimo uma hora em situação normal, foi feito em menos de 40 minutos, arriscado a sofrer um acidente e ter multas por excesso de velocidade.

Exatamente às 7:50 hs, portanto 20 minutos antes da decolagem da aeronave, meu marido chegou com as certidões de nascimento originais dos nossos filhos. Eenquanto ele estacionava seu carro no aeroporto, corri para o balcão da citada funcionária, para ir adiantando os procedimentos. Ela disse que já havia fechado o check-in. Deu-nos as costas, indiferente. Ficamos ali, parados, perplexos e muito irritados com o péssimo atendimento e a perda de nossos direitos. Sem contar que não tínhamos nem bagagem para despachar, pois voltaríamos já no dia seguinte. 

Não havia mais nada a fazer. Não pudemos embarcar naquele vôo, transferimos nossas passagens para outra companhia aérea, chegamos em nosso destino 5 horas mais tarde do que necessitávamos. Tivemos gastos adicionais de R$324,00 pela diferença de tarifa, mais as despesas com lanche para as crianças na cafeteria do aeroporto e provavelmente chegarão multas por excesso de velocidade no percurso Viracopos-Sousas-Viracopos.

Mas o pior foram os danos morais. O estado de insatisfação, o mal-estar que sentimos diante do descaso da TAM, que divulga uma imagem de excelência de serviço, respeito e atenção ao cliente.

Sentimo-nos lesados diante de tal aborrecimento e fizemos um Boletim de Ocorrência na Polícia Civil local, que servirá como uma das comprovações desse episódio. Temos também as Notas Fiscais do Estacionamento do aeroporto de Viracopos, que comprovam os horários de entrada e saída de nosso veículo no aeroporto.
Entrei no site da TAM na sessão "Fale com o Presidente". Cumpri todos os requisitos, escrevi todo o relato e, na hora de enviar, surgiu um comunicado de que aquela página estava "temporariamente" fora do ar. Tentei outras vezes e vi que é tudo tapeação. Na TAM, ninguém fala com o Presidente!

Conclusão: nada a fazer! Somente a decisão de nunca mais soltar um centavo para a TAM, por seu descaso, desrespeito e péssimo atendimento ao cliente!!! Divulgarei esse fato nos veículos de comunicação e aonde eu puder.

Ana Y.C.P. Soares
Campinas (SP)

 

 

Mande o seu diário também, clicando na cartinha ao 
lado, e conte para outros internautas como foi a sua viagem