Compare Produtos, Lojas e Preços
Dicas de Viagem

Canadá - Ago/05

Voltar

 
O Canadá como país, é bem mais novo que o Brasil, mas os primeiros europeus chegaram no Canadá há mil anos, com uma comunidade viking tendo sido estabelecido em L'anse aux Meadows, no extremo norte de Newfoundland. 

Antes da colonização francesa, foram os pescadores portugueses que se abasteciam de bacalhau nas águas frias dos Grandes Bancas de Newfoundland; com a descoberto de grandes quantidades de sal na Europa, passaram a desembarcar na costa leste canadenses para temperar o peixe durante o verão. 

Com a chegada dos franceses a partir do século XVI, a principal atividade econômica passou a ser a busca das peles de castor, para produzir o "felt" para os chapéus que estavam muitos na moda na Europa. Estes bandeirantes franceses, os "coureurs de bois" que abriram o interior e faziam comércio com os povos indígenas, representam uma das figuras legendárias da história canadense.

Os ingleses começaram a vir em mais força para colher madeira das florestas do litoral este, para construir e manter a sua frota marítima. Tinham também atividades agrícolas na atual província de Ontario.

Foi somente no século XIX que o oeste do Canadá começou a se desenvolver. A constituição de 1867, que unificou todas as colônias do Canadá em um país só, tinha como condição de assinatura a construção de uma ferrovia que ligaria todas as províncias, de costa a costa. Uma vez estabelecida, os imigrantes começaram a chegar ao centro-oeste canadense em força. A terra era dada de graça aos imigrantes que aceitavam o desafio de montar uma vida agrícola nestas terras bravas.

Em termos da economia canadense, certas indústrias contribuíram ao desenvolvimento do país. Pesca, madeira, pele, agricultura, mineração e siderurgia explodiram com o desenvolvimento industrial do continente, particularmente da indústria automobilística. A economia canadense sempre dependia muito dos recursos naturais, mas também sempre demonstrava uma flexibilidade e adaptabilidade saudável às mudanças de moda e outras condições dos mercados internacionais. Era importantíssimo, pois o mercado doméstico nunca sustentaria o nível de atividade econômica; até hoje, mais que 40% da produção nacional é exportada.

As indústrias primárias ocupam um espaço cada vez menor no quadro de atividade econômica. O Canadá se transforma realmente um país de indústria terciária, baseada muito mais no capital humano que no capital natural.

O país já passou por uma reestruturação econômica importante no início dos anos 1990, dirigida pela globalização dos mercados e da produção mundial, e pela nova concorrência no mercado canadense que surgiu a partir do Acordo de Livre Comércio com os Estados Unidos.

Foi um dos debates mais acirrados no Canadá, mas no final o país saiu mais forte e mais confiante do que antes, com uma posição internacionalmente admirável em indústrias como mineração, energia elétrica, telecomunicações e indústrias "intensivas de conhecimento". Detém uma porcentagem da indústria norte-americana automobilística que ultrapassa a sua representação por população. Algumas empresas mundiais canadenses, das quais já podem ter ouvido falar, incluem a Nortel, Seagrams, Alcan, Moore, Corel, Magna, Bombardier, Imax, Ballard Power Systems e Nova.



Compare Produtos, Lojas e Preços





 



Embaixada em Brasília
(61) 321-2171
Fax: (61) 321-4529
SES Av. das Nações, Q 803, lote16 CEP 70410-900

Consulados
São Paulo (11) 5509 4343 (Telefone para agendamento)
Fax (11) 5509 4262
Rio de Janeiro (21) 543-3004
Site: www.canada.org.br


Muda concessão de Vistos

A partir de 16 de Maio de 2005, o Consulado do Canadá passa a utilizar códigos de barras nos pedidos feitos por despachantes e agentes de viagens - o que permite que as solicitações passem a ser processadas em dois dias úteis.

Quem quiser solicitar vistos pessoalmente, terá agora que agendar entrevista. Para isso deverá ligar para (11)5509-4343 de 2as. a 5as.feiras, das 8:00 às 12:30hs e das 13:30 às 17:00hs, e às 6as.feiras, das 8:00 às 13:30hs. A entrega dos documentos, quando previamente agendados, poderá ser feita de 2as. a 5as.feiras, das 9:30 às 11:00hs.

Atenção: O Consulado do Canadá não aceitará pedidos entregues pessoalmente sem agendamento prévio.

É recomendado pelo Consulado do Canadá, que os pedidos de emissão de vistos sejam encaminhados através de despachantes ou agentes de viagem, pois apesar de todos serem bem-vindos, com os estabelecimento os novos procedimentos, os solicitantes poderão enfrentar longa fila de espera na lista de agendamentos.

Recomenda-se também que os pedidos de emissão de vistos sejam feitos com pelo menos 30 dias de antecedência da viagem

 Vistos de entrada de turista e estudante para o Canadá

Os escritório nos Consulados e Embaixada do Canadá processam requisições de visto para:

• residentes temporários ao Canadá (turistas, estudantes ou trabalhadores);
• residente permanente e comprovação de status de residente permanente.

Os pedidos estão sujeitos a uma taxa de processamento que não é reembolsável.

Visto de Residente Temporário (Visitante)

As pessoas que necessitam de visto de visitante (TURISTA) para o Canadá, também conhecido como visto de residência temporária, podem fazer seu pedido pessoalmente. Não há necessidade de marcar hora. Na maioria dos casos, os pedidos são processados no mesmo dia quando solicitados pessoalmente, ou em dois dias úteis quando solicitados através de agência, despachante, ou terceiros.

Para obter um visto de visitante, o solicitante deverá:

• satisfazer o oficial de imigração de que ele não é um possível imigrante,
• que tem meios financeiros suficientes para custear sua viagem e manutenção,
• e que deixará o país ao término da permanência autorizada pelo oficial de imigração no Canadá. O ônus da prova é do solicitante.

O período de permanência normalmente autorizado é de seis meses. Contudo, o oficial de imigração no porto de entrada poderá determinar um período inferior.

A validade dos vistos é a seguinte:

• Vistos de uma entrada até 6 meses.
• Vistos de múltiplas entradas até 5 anos.
• Visto de trânsito até 48 horas.

OBS: A validade do visto canadense não pode exceder a validade do passaporte.

Visto de estudante (Permissão de Estudos)

As pessoas que têm intenção de estudar no Canadá por um período superior a 6 meses, devem solicitar e obter uma permissão de estudo. Essa regra vale para qualquer tipo de curso ou programa de estudos. Estudantes indo para cursos com duração inferior a 6 mêses, não necessitam de permissão de estudo, mas ainda assim precisam de um visto de visitante.

Você pode fazer seu pedido pessoalmente no Consulado Não é necessário marcar hora. Na maioria dos casos, os pedidos são processados no mesmo dia quando solicitados pessoalmente, ou em dois dias úteis quando solicitados através de agência, despachante ou terceiros, mediante apresentação da documentação completa.

Documentação Necessária:

• Formulário devidamente preenchido e assinado. O formulário ou obtido gratuitamente no setor de vistos ou pela internet (www.canada.org.br) Apenas um formulário deverá ser preenchido por família. Filhos com 22 anos ou mais deverão preencher um formulário separado
• 1 foto recente, tamanho passaporte (5x7), para o requerente principal e acompanhantes,
• Passaporte ou documento de viagem válido. Caso tenha, apresentar passaportes anteriores também,
• Prova de recursos financeiros. Exemplo: último imposto de renda com o recibo de entrega, os três últimos holerites, e/ou contrato social, e/ou extratos bancários,
• Se você vai estudar, apresentar a carta de aceitação da escola no Canadá.
• Se vai a negócios, apresentar carta do empregador indicando a duração, natureza dos negócios, e empresa a ser visitada
• Se vai apenas transitar pelo Canadá por um período não superior a 48 horas, você deverá solicitar um visto de transito antes de viajar. Para visto de trânsito, apresentar fotocópia da sua passagem ou do seu itinerário.
• Comprovante bancário do pagamento da Taxa
• Documentos adicionais poderão ser solicitados. (Ex: exames médicos, CAQ...etc...
• Apresente somente fotocópias simples dos documentos. Originais não são necessários e não serão devolvidos.

 

O Canadá enfrentou nos anos 80 aquela crise inflacionária dos choques de petróleo dos anos 70; a taxa de juros chegou a uns 22%, um nível completamente desconhecido e impensável. O Banco Central canadense tomou uma atitude bem estrita no final dos anos 80, que muitas pessoas culparam por uma forte recessão no início dos anos 90. Porém, tem que ser admitido que teve um efeito positivo. A taxa de inflação atual é baixíssima, e a economia está muito saudável e estável. Depois deste desafio, veio o desafio das contas públicas. Vários governos, inclusive o federal, estão fazendo esforços para cortar os déficits e apresentar orçamentos equilibrados. Não é fácil numa sociedade que defende os serviços sociais e os direitos de aposentadoria, programas que mais tomam os recursos recolhidos pelos impostos todos os anos; mas pouco ao pouco, a maior parte dos governos provinciais e federal está conseguindo.

O Canadá é um país de imigrantes, sendo que os de origem inglesa respondem por 37% da população e os franceses, por 32%. Inglês e francês são as duas línguas oficiais. 

O Canadá possui sete regiões, cada uma com um clima e paisagem diferentes: a costa do Pacífico, onde fica a ilha de Vancouver e a cidade de Victoria; as cordilheiras, onde se encontram as montanhas mais altas do país e o Monte Logan, situado na maior calota glacial ao sul do círculo ártico; as pradarias; o Escudo Canadense; os Grandes Lagos, os Apalaches, no Atlântico; o Ártico e os Parques Nacionais. 

Sua população concentra-se em uma faixa de cerca de 160 km acima da fronteira com os Estados Unidos. Há áreas praticamente despovoadas, como os gelados Territórios do Noroeste. Terra dos inuits - povos nativos que incluem os esquimós - e da aurora boreal, fenômeno que ocorre durante o outono e o inverno, os Territórios do Noroeste concentram apenas 0,2% da população. 

Segundo maior país do planeta em extensão, só perdendo para a Rússia, o Canadá possui seis fusos horários. É o país de maior costa do mundo - além do Atlântico e do Pacífico, também possui litoral no oceano Ártico. Estima-se que o país tenha um sétimo da água doce do mundo.

Maior cidade do Canadá, Toronto fica às margens do lago Ontário. Até o fim da Segunda Guerra, sua população era predominantemente de origem inglesa. Hoje metade é de imigrantes, num total de 150 etnias. 

Há bairros ou áreas com restaurantes, lojas e serviços típicos da Itália, Índia, Polônia, China, Alemanha, Portugal, Brasil e Grécia, entre outros países.

A CN Tower, torre high tech com 553 m, é um marco da cidade. No topo de seus 180 andares há um deck com chão de vidro. Outro símbolo da cidade é o Skydome, estádio com teto retrátil do time de beisebol Blue Jays.

Toronto reurbanizou as margens do lago Ontário, e seu Harbourfront Centre é um pólo cultural e de lazer com marinas, parques, hotéis, cafés, lojas de antiguidades e artesanato.

The Beaches é o bairro às margens do lago. Seu estilo descontraído atrai multidões no fim de semana, com uma concorrida orla cheia de quadras esportivas e parques. Outro complexo de lazer é o Ontario Place. O castelo Casa Loma é uma atração curiosa. Construído em 1914 por um milionário excêntrico, tem 98 quartos. 

Arte - Na cidade ficam as sedes do National Ballet of Canada e da Canadian Opera. Entre os principais museus e galerias da cidade destacam-se o Royal Ontario Museum, dedicado às artes, arqueologia e história natural; a Thomson Gallery, que reúne trabalhos dos artistas canadenses conhecidos como O Grupo dos Sete; o Henry Moore Sculpture Centre, que possui mais de cem obras do artista, e a Galeria de Arte Esquimó. Em passeio de um dia, é possível visitar as Cataratas do Niagara, entre o Canadá e os Estados Unidos

Uma das regiões mais bonitas do Canadá, as Montanhas Rochosas têm grandes lagos de água turquesa em suas florestas. Na região existem vários parques nacionais, como o Top of the World Park, o Kootenay Park - ambos podem ser percorridos de carro - e o Purcell Park, que exige dos visitantes um pouco de fôlego, já que os melhores trajetos só podem ser percorridos a pé. 

Outros esportes apreciados nos parques, além do trekking, são o windsurfe, o rafting, o esqui aquático e o rappel. Em todos os parques há uma vila que fornece infra-estrutura para os visitantes. 

Localizada em uma ilha do rio São Lourenço, Montreal é a segunda maior cidade canadense depois de Toronto e a maior cidade com população de origem francesa depois de Paris, em uma combinação única da tradição européia com a modernidade da América do Norte. 

Muito antes da chegada de seu fundador, Paul de Chomedey, em 1642, o lugar já era conhecido como Hochelaga e servia como ponto de reunião dos povos mohawk. No século 18, como Ville Marie, a cidade já era um próspero entreposto de peles, que foi se expandindo do porto em direção ao Mont Royal, colina que deu nome à cidade. Toda a região do Velho Porto (Vieux-Port) foi restaurada. Hoje abriga rinque de patinação, mercado de pulgas, ciclovias, o Museu de Arqueologia e História e o Isci, um complexo interativo de ciência e entretenimento com exposições, 85 jogos interativos, 25 vídeos, 3 centros de documentação e cinemas Imax. 
Montreal sedia festivais internacionais de jazz e cinema. Em sua vida cultural destacam-se também o Museu de Arte Contemporânea, Museu de Belas Artes, o Centro Canadense de Arquitetura e a Place des Arts, com cinco salas de espetáculos e capacidade para um público de 6.000 pessoas. Outros pontos de interesse são o Parque Olímpico e o Biodôme, um edifício da Vila Olímpica que reproduz a fauna e flora de quatro ecossistemas

 Reportagem: Yoko Nakamura    

 

Voltar