Compare Produtos, Lojas e Preços
Dicas de Viagem

Japão - Jul/01

Voltar

As maiores atrações do Japão para visitantes estrangeiros residem na enorme multiplicidade de atrativos culturais, na grande variedade de encantos naturais e no povo verdadeiramente hospitaleiro.

Nação que avança a passos largos para a vanguarda do futuro com suas indústrias de alta tecnologia, ao mesmo tempo em que preserva uma herança de milhares de anos de uma história que pode ser traçada até as épocas mitológicas, o Japão vive o grande desafio da coexistência do antigo e do moderno.

O Japão possui um grande número de santuários e templos que têm uma história de 1.000 a 2.000 anos. Para grande surpresa dos que os visitam, a maioria não se encontra em estado de "ruína", mas ainda servir como centro de atividades religiosas e fonte de tradições culturais e de estilos de vida. É realmente estimulante ver santuários e templos banhados pelo tempo, ou bairros seculares de samurais, coexistindo em harmonia com a sociedade moderna. 

O verdadeiro arquipélago japonês consiste em mais de 3.000 ilhas, ao redor das quatro principais, Hokkaido, Honshu, Shikoku e Kyushu, que se estendem em 3.000km de norte a sul, das zonas sub-árticas até as subtropicais. Seu clima é caracterizado por quatro estações bem definidas, que saúdam os turistas com as respectivas belezas cênicas em qualquer época que se visite o Japão. As cerejeiras em flor na primavera, o verde viçoso do início do verão, as folhagens escarlates no outono, e as paisagens de neve no inverno simbolizam as quatro estações. Desde a antigüidade, as quatro estações inspiram a literatura e as artes japonesas. Entre elas, notabilizam-se os poemas haiku de dezessete sílabas, que contém uma frase sazonal, e os desenhos delicados dos kimonos, dos objetos em laca e em porcelana.

A natureza do Japão é também generosa ao oferecer aos visitantes um brinde : as águas termais. Como faz parte do anel de fogo do Pacífico, o Japão é um paraíso para as termas, com tantas águas minerais que jorram em todo o país. Sua estada numa das hospedarias em estilo japonês, conhecidas como ryokan, numa estância termal provavelmente lhe proporcionará inesquecíveis e vívidas recordações do Japão.

Rodeado de água e de formações rochosas, o Japão é rico em bênçãos do mar e da montanha. Assim, a culinária japonesa é famosa por seu paladar delicado e saudável. Além dos pratos mais conhecidos como o sushi, o sashimi e o tempurá, cada localidade possui suas próprias iguarias, que agradam ao paladar e oferecem uma experiência sensória estimulante. Mas não será preciso sentir saudades de sua própria culinária. As principais cidades do Japão oferecem quase todos os tipos de comidas do mundo todo.

Além disso, as metrópoles como Tokyo proporcionam todas as formas de entretenimento urbano, desde as artes tradicionais japonesas como o Nô, o Kabuki e o Bunraku até concertos de orquestras mundialmente conhecidas e de artistas populares. Para conectar estes centros populosos com cidades menores existe uma rede de transportes altamente desenvolvida - comboios expressos shinkansen, auto-estradas e rotas aéreas domésticas. O Japão é, no seu todo, um organismo que combina grandes cidades cosmopolitas e comunidades regionais possuidora de raízes profundas nas culturas locais. O que é comum em qualquer lugar que se visite, é o calor humano e a hospitalidade das pessoas. A maior atração do Japão pode ser encontrada no seu povo hospitaleiro.



Compare Produtos, Lojas e Preços





 



VISTO PARA TURISMO

  • Comprovante de renda (original e xerox - Traveller check, recibo de compra de moeda estrangeira, declaração de imposto de renda, contra-cheque.

  • Passagem de ida/volta, ou print de reserva da viagem (original e xerox)

  • Obs.: Para retirada do passaporte com visto faz-se necessário a apresentação da passagem aérea e uma cópia da mesma.

  • Formulário preenchido e assinado (Original, fornecido pelo Consulado do Japão)

  • 01 foto 3X4 (nítida e recente)

  • Passaporte com validade mínima de 06 meses

  • Cópia da identidade do requerente

OBS: Prazo para estada no Japão: 3 meses

Documentos Necessários para requerer o Visto:
Obs.:
Os documentos necessários irão depender também do local de residência do requerente, sendo aconselhável entrar em contato com o Consulado de seu Estado para mais informações.

· VISTO ESPECÍFICO (Para longa permanência)

1 - Filho(a) de japoneses:

  • Kosekitôhon (original, com 1 ano de validade)

  • Certidão de nascimento (xerox autenticada)

  • Xerox autenticada da identidade do pai ou mãe (daquele que é japonês)

  • Carta de garantia do Japão e comprovante de renda do fiador. O(a) fiador(a) deve ser parente e deverá estar residindo no Japão.

  • Atestado de residência do fiador japonês

  • Preenchimento de 2 vias de um formulário em inglês

  • fotos 5X5 (nítidas e recentes)

  • Cópia da identidade do requerente

OBS: Se o(a) fiador(a) for estrangeiro, será necessário apresentar, além do comprovante de renda, xerox do passaporte para a conferência da assinatura e comprovante de registro de estrangeiro. No caso do(a) fiador(a) for pessoa de nacionalidade japonesa, os documentos necessários são: comprovante de residência, comprovante de renda e xerox do passaporte ou Kosekitôhon.

2 - Cônjuge japonês(a)

  • Kosekitôhon (original, com 1 ano de validade) Certidão de Casamento (xerox autenticada)

  • Identidade do cônjuge (xerox autenticada)

  • Carta de garantia do Japão e comprovante de renda do fiador (caso o(a) fiador(a) seja estrangeiro(a), além do comprovante de renda, será necessário a apresentação do comprovante do registro de estrangeiro e cópia do passaporte para a conferência da assinatura). O fiador deve ser um parente e estar morando no Japão.

  • Atestado de residência do fiador

  • Preenchimento de duas vias de um formulário em inglês

  • Duas fotos 5X5 (nítidas e recentes)

  • Passaporte

  • Cópia da identidade do requerente

OBS: Quando o casal for viajar junto, deverá apresentar xerox das passagens aéreas.

 Frases úteis para o dia a dia:

O cumprimento é feito através de uma reverência, onde a pessoa inclina-se para frente; seu grau de inclinação depende da situação do momento e do grau de relação entre as pessoas envolvidas. Este gesto é chamado "odigi" e significa respeito e afeição. Cumprimentar é um hábito muito apreciado que os japoneses fazem questão de cultivar.

Cumprimentos básicos:

  • Ohayo gozaimasu = Bom dia
    Konnichiwa = Boa tarde
    Kombanwa = Boa noite
    Oyasuminasai = Boa noite (quando irá dormir ou quando se despede de alguém à noite)
    Sayonara = Até logo, adeus
    Hajimemashite = Muito prazer
    Ogenki desu ka = Como vai?

Outras palavras e frases importantes:

  • Arigatô gozaimasu = obrigado(a)

  • Iie doo itashimashite = por nada, não há de quê

  • Sumimasen = desculpas, por favor. Utilizado quando se pede desculpas, ou quando irá pedir um favor, informação a alguém

  • Shitsurei shimasu = com licença, quando pedir licença para passar, para entrar na casa ou escritório de alguém, também quando você se retira de algum local antes que outras pessoas

  • Gomenkudasai ou gomen nasai = me desculpe

  • Hai = sim

  • Iie = não

  • Watashi no namae wa ---- desu = Meu nome é ---

  • Watashi wa burajiru kara kimashita = Venho do Brasil

  • Doko desu ka? = Onde fica, onde é

  • Ikura desu ka? = Quanto custa?

  • Takai desu = É caro

  • Yasui desu = É barato

  • Irashaimassê = Seja bem vindo

  • Wakarimashita = Entendi

  • Wakarimasen = Não entendo

  • Motto Yukkuri itte kudasai = Por favor, fale mais devagar

  • Chotto matte kudasai = Espere um momento, por favor.

  • Kanko kyaku desu = Sou turista

  • X nichikan taizai no yotei desu = Quero ficar x dias

  • Ryogaejo wa doko desu ka? = Onde fica o guichê de câmbio

  • Shinkoku suru mono wa arimasen = Não tenho nada a declarar

  • Azukarisho o kudasai = Por favor, dê-me o recibo de depósito

  • Basu (densha) noriba wa doko desuka? = Onde fica a plataforma/ponto de ônibus/trem?

  • Kippu uriba wa doko desu ka? = Onde se vendem as passagens?

  • Toirê wa doko desuka? = Onde fica o banheiro?

  • Nihongo wakarimasen = Não entendo japonês

  • Porutogarugo o hanaseru hito wa imasu ka? = Tem alguém que fale português?

Etiqueta no Japão

Os costumes e normas de etiqueta do Brasil e Japão são diferentes em muitos aspectos, o que tem causado mal-entendidos, equívocos e situações às vezes constrangedoras.
Para que os estrangeiros possam conviver de forma tranqüila e sem problemas dentro da sociedade japonesa, é preciso aprender e respeitar os costumes e as pessoas. Também é muito valorizado o respeito aos vizinhos, mantendo um bom relacionamento e cooperação mútua.

O cumprimento é feito através de uma reverência, onde a pessoa inclina-se para frente; seu grau de inclinação depende da situação do momento e do grau de relação entre as pessoas envolvidas. Este gesto é chamado "odigi" e significa respeito e afeição. Cumprimentar é um hábito muito apreciado que os japoneses fazem questão de cultivar.

Ao dirigir a palavra a outra pessoa:

Sama ou San


Quando for falar com outra pessoa, sempre chamá-la pelo sobrenome, seguido de "san" ou "sama"(forma polida) que quer dizer senhor, senhora ou senhorita. Somente chamar pelo nome ou apelido quando esta pessoa autorizar para tal.
No caso de pessoas que você não saiba o nome, quando pedir alguma informação, dizer "sumimasem" (por favor) seguido da pergunta.
Na empresa, quando se trata de superiores, chamá-lo pelo cargo, por exemplo : Sr. Presidente = shatyô-sama.
Antes de começar a refeição, todos dizem "itadakimasu" e ao terminar dizem "gochiso sama". São frases que expressam apreciação e agradecimento pela refeição.

Geralmente os japoneses comem com pauzinhos (hashi ou ohashi). A tigela de arroz é colocada à sua esquerda e a de sopa à direita, e os hashi são colocados em frente a elas, na horizontal.
O correto é segurar o hashi com a mão direita e usar a esquerda para levantar as tigelas de arroz e de sopa para comer, podendo beber a sopa diretamente da tigela. Já os outros pratos e tigelas ficam sobre a mesa. Quando houver pratos que serão degustados por todos, terá um talher ou hashi para cada prato, onde você irá utilizá-lo para se servir.
Quando não houver talher ou hashi, deverá se servir utilizando seu próprio hashi do lado oposto ao que você está comendo, mas dependendo do prato, seu hashi poderá ficar sujo, então poderá ser pedido um talher ou hashi para o prato, ou se estiver entre amigos ou pessoas mais íntimas, poderá dizer para não se importarem e se servirem com o próprio hashi, sem precisar utilizá-lo ao contrário.
Enquanto estiver comendo o arroz, e quiser pausar, deverá deixar o hashi em cima da tigela na horizontal ou sobre hashioki (descanso de hashi). Não espete o hashi no arroz, isto significa arroz servido em velório.
Quando os japoneses tomam sopa, é costume fazer barulho com a boca, dizem que é demonstração de apreciação ao prato.
Geralmente em restaurantes, antes de se servir, é oferecido um oshibori (toalhinha úmida para limpar as mãos). É falta de etiqueta limpar o rosto, o pescoço, etc..

Chinelos e sapatos

Ao entrar numa casa típica oriental, tire os sapatos na entrada (genkan) e calce os chinelos próprios para serem usados dentro de casa. Quando entrar numa sala ou quarto de tatami ( uma esteira feita de palha e coberta de junco tecido), deve se tirar os chinelos e deixá-los no corredor. Geralmente existem chinelos próprios para o banheiro também.

Quartos

Para dormir, as pessoas usam colchões estofados e colchas (futon), colocados no chão do quarto. De manhã, são recolhidos, dobrados e colocados no armário, podendo-se usar o mesmo quarto de dormir para sala de jantar ou sala de estar.

Sala de jantar ou sala de estar

Geralmente é usada uma mesa baixa, com almofadas (zabuton) para se sentar, de joelhos, mas poderá esticar as pernas também, embaixo da mesa. No inverno, existem estas mesas baixas com sistema elétrico especial na parte de baixo (kotatsu), onde há cobertor e por cima é colocado um tampo da mesa. Você se mantém aquecido colocando-se as pernas embaixo da mesa. 

Banho

A casa japonesa possui um cômodo que é feito apenas para banho, chamado ofurô, banho de imersão. A banheira é quadrada e funda, onde é colocada água fria e aquecida com aquecedor especial, alguns a gás e outros por eletricidade.

Antes de entrar na banheira, deverá lavar o corpo e somente entrar depois de se enxaguar, pois a água não é trocada cada vez que uma pessoa a utiliza, tomando-se o cuidado para não sujar a água, pensando no próximo que irá utilizá-la.

Meishi - cartão de visitas

No Japão, é comum fazer a troca de cartões de visita (impresso com nome da empresa, seu cargo, nome, endereço e telefone) quando se encontram pela primeira vez. O meishi esclarece a posição, status e grupo hierárquico da pessoa dentro da empresa, desempenhando um papel importantíssimo numa sociedade onde o grau hierárquico é muito respeitado.

Qualquer pessoa pode fazer, pedir para imprimir um meishi da maneira que desejar.
Já um meishi da empresa, deverá possuir o nome da empresa, seguido de seu cargo, nome , endereço e contato. Num encontro de negócios ele possui um papel importante, é imprescindível que você possua seu meishi, pois poderá ser considerado falta de etiqueta e rude não possuí-lo. O cartão de visitas no Japão possui um papel muito diferente e muito mais importante que em outros países.

Entrega-se o meishi com as duas mãos, o mesmo ao receber. Não dobre nem escreva no cartão e, se possível, tenha em mãos o "meishi-ire", um porta cartão. Se não tiver, guarde-o no bolso interno do paletó ou em sua carteira.
Tente memorizar o nome, posição e empresa da pessoa. O meishi é um instrumento importante e também útil para que seu nome seja lembrado, e também para que você não se esqueça com quem esteve.

ANIME, OVA, MANGA e MOVIE

  • MANGA - histórias em quadrinhos japonesas. Na maioria das vezes, um mangá bem sucedido se torna um anime e vice-versa.

  • ANIME - desenho japonês, pode ser uma série de tv, um ova ou um movie. Este é feito para todo tipo de espectador, adultos, homens, mulheres, adolescentes, etc.

  • OVA - original video anime, desenho feito para ser vendido em video, costuma ter poucos episódios e qualidade superior a das séries de tv.

  • MOVIE - filmes feitos para o cinema, costuma ter melhor qualidade que um ova.

A Cerimônia do Chá

A Cerimônia do Chá ou Chanoyu, também conhecido como Chado (Caminho do Chá), é um passatempo estético no Japão, que é a arte de servir e beber o "matcha", um chá verde pulverizado. Existe todo um ritual e respeito para com a cerimônia.

É uma das principais artes tradicionais do Japão, pode-se dizer que representa a síntese da cultura e do espírito japonês.

O chá foi introduzido no Japão através da China, por volta do século VIII. O "matcha", que é utilizado na Cerimônia do Chá, foi trazida da China no século XII. O chá era muito precioso e, além de bebida, era considerado remédio.
A popularidade do chá é universal, porém, em nenhuma outra parte do mundo sua contribuição ao meio cultural foi tão notável, quanto no Japão, onde seu preparo e apreciação adquiriram sentido estético e evoluíram como uma forma distinta de arte.
No Japão, as pessoas, ao serem convidadas para uma reunião de chá, costumam comparecer com antecedência : aguardam sentadas em uma pequena sala, desfrutando da companhia uma das outras e desligando-se das atribulações do cotidiano.

O anfitrião terá cuidado da preparação da sala, talvez pendurando um "kakemono" (pintura ou caligrafia sobre papel ou seda, montada sobre um rolo de papel geralmente emoldurado com brocado), acendendo o fogo para ferver a água para o chá e terá também preparado uma pequena refeição caprichosamente escolhida, tudo com o objetivo de tornar a reunião o mais agradável possível.

Esse encontro representa a manifestação clara de uma sensibilidade interior que se adquire através do estudo e da disciplina do Chado, o Caminho do Chá. Chado é um termo relativamente recente, com o qual se designa o ritual de preparar e tomar o chá, originado no século XV.

O chá verde em pó servido no ritual foi inicialmente introduzido no Japão por monges Zen, quando de seu regresso da viagem de estudos na China, durante o século XII. Nessa época, o chá era utilizado como um suave estimulante, que favorecia ao estudo e à meditação, tendo sido valorizado também como uma erva medicinal.
A partir dessa origem modesta, mestres de chá, devotos do Chado, desenvolveram uma estética, que se inseriu na cultura japonesa. Houve, entretanto, um mestre de chá que, durante toda a sua existência, concebeu essa filosofia como um estilo de vida e instituiu o Chado como um meio de transformar a própria vida em uma obra de arte. Esse mestre foi Sen Rikyu ( 1522-1591 ).

Proeminente figura nas artes e também na política de seu tempo, os ideais estéticos de Sen Rikyu estão no âmago das artes e artesanatos do Japão e constituem a base do requinte e da elegância japoneses.

As Sete Regras

Uma vez perguntaram a Sen Rikyu sobre o que se exigia na Cerimônia do Chá. Ele respondeu que era uma questão de observar sete regras:

1. Fazer uma tigela satisfatória de chá;
2. Colocar o carvão de lenha, para a água ferver eficientemente;
3. Prover senso de calor no inverno e frescor no verão;
4.Arranjar as flores como se estivessem no campo;
5. Estar pronto antes do tempo;
6. Estar preparado em caso de provável chuva;
7. Agir com máxima consideração para com seu convidado.

De acordo com o que é sabido sobre este diálogo, a pessoa que fez esta pergunta ficou muito zangada com Rikyu, dizendo que eram questões simples que qualquer um poderia manejar. Rikyu respondeu que ele poderia ser o discípulo de quem conseguisse executar e divulgar sem falhas.
Esta história nos conta que a Cerimônia do Chá é basicamente preocupada com atividades do cotidiano, já para dominar isto requer ótimo cultivo. Neste senso, a Cerimônia do Chá é descrita como a Arte da Vida.
Os monges Zen, que introduziram o chá no Japão, estabeleceram os fundamentos espirituais para o Chado. Baseados numa intuitiva busca pela essência da realidade, os preceitos do Zen Budismo deram aos mestres do chá uma amplitude para desenvolver a estética do chá. Veio incluir, não apenas as regras para preparar e servir o chá, mas também a manufatura dos utensílios, o "conhecimento" das belas artes e das artes aplicadas, o "desenho" e a construção das salas de chá, a arquitetura dos jardins e a literatura.

Quase quatrocentos anos se passaram desde que Sen Rikyu percorreu as ruas de Kyoto, porém a cidade permanece, ainda, rica com seu legado. Hoje, a quinze minutos do Palácio Imperial de Kyoto, encontram-se as propriedades de duas ramificações da família Sen. Uma dessas, é a residência de Soshitsu Sen XV, décima quinta geração descendente de Sen Rikyu e atual Grão Mestre da Escola Urasenke de Chá.

Material fornecido pelo:
Centro de Cha do Urasenke do Brasil

Conteúdo : Marina Mityo Fuziwara
 Site : www.nihonsite.com

Voltar