Parque Nacional do Araguaia - TO - Jul/01

Voltar

O Parque Nacional do Araguaia criado em 1956 está localizado no sudoeste do estado do Tocantins, abrangendo parte dos municípios de Pium e Lagoa da Confusão no médio Araguaia, no extremo norte da Ilha do Bananal. Esta ilha, que em tamanho se equivale ao estado de Sergipe, é a maior ilha fluvial do mundo . 

Sua unidade de conservação divide a ilha com reservas indígenas, entre as quais, a dos índios Carajás.A principal característica deste Parque é sua ampla rede de drenagem, formada por vários rios de grande e médio porte. Alguns rios formam belas praias, de areias claras e praticamente desprovidas de vegetação. 

Durante a época das chuvas/cheias, a área fica toda recoberta pelas águas, com exceção da parte conhecida como Torrão, onde se situa a sede do Parque. A vegetação dos 562 mil hectares é bem diversificada, predominando os campos de várzeas inundáveis, com cerrados e florestas ao longo dos rios, onde são encontradas palmeiras típicas como maçarandubas, canjeranas e piaçavas e espécies como a onça-pintada, a arara-azul, o gavião real e a águia pescadora. 

A fauna é rica e diversificada, apresentando elementos que habitam o cerrado e a região amazônica. As espécies mais comuns são a onça-pintada, a arara-azul, o gavião real e a águia pescadora. Durante as enchentes periódicas ocorre a concentração da fauna terrestre nas partes altas, buscando proteção.No verão, a Lagoa Sorrocan, que é o palco de jacarés, fica mais bonita, recebendo maior número de répteis que aproveitam para pegar um solzinho nas suas margens. 

O Campo das Caraibeiras é caracterizado por campos com grama rasteira e as árvores caraíbas que medem até 15 metros e florescem em amarelo, transformando a área num grande jardim.A região apresenta clima quente, semi-úmido, com temperatura média anual variando entre 8 e 42 graus. Os meses mais quentes são setembro e outubro, e os mais frios junho e julho. Possui uma precipitação anual de 1.750 mm. 

O período de chuva vai de novembro a março.Embalado pela criação do Parque Yellowstone, o primeiro dos EUA, Juscelino Kubtschek decidiu criar o primeiro parque brasileiro e escolheu a Ilha do Bananal - o presidente dos "Anos Dourados" construiu ainda um super-hotel na ilha, hoje só ruínas. 

O parque, além de ser o primeiro a ser criado no Brasil, é também o que enfrenta os maiores problemas pela falta de definição das divisas com o parque indígena - os índios alugam pastos para fazendeiros em área que faz parte do parque nacional, prejudicando a conservação das matas nativas, afugentando espécimes da fauna e trazendo o risco das queimadas.Localização e acessos ao parque :Brasília = BR-153 (Belém/Brasília) até a cidade de Nova Rosalandia. TO-255 até Cristalândia (aprox. 30 Km), percorrendo-se a partir daí cerca de 113 Km até as margens do rio Javaés, já nos limites do parque. Palmas = TO-080 em direcão a Paraíso do Tocantins BR-153 em direcão a Nova Rosalandia. TO-255 até Cristalândia (aprox. 30 Km), percorrendo-se a partir daí cerca de 113 Km até as margens do rio Javaés, já nos limites do parque.
Distâncias = Palmas: 275 km , Lagoa da Confusão: 60 km.

Atrações do Parque

No Parque é possível percorrer estradas e caminhos existentes próximos à sede, fazer excursões terrestres e fluviais na porção oeste da unidade, acompanhados por funcionários, com o intuito de observar e fotografar diferentes ambientes e paisagens, vários grupos de animais vistos facilmente em abundância e espécies raras da flora. Nas proximidades do parque Indígena do Araguaia há excelente ponto de observação astronômica: pôr-do-sol e praias fluviais no período de seca.

Em São Miguel do Araguaia é possível alugar um barco para conhecer de perto a rica fauna e o ambiente deslumbrante em toda a extensão do parque. O parque é um excelente local para observação da rica fauna brasileira. Oportunidades de visualização de mamíferos ameaçados de extinção como o tamanduá-bandeira, o cervo-do-pantanal, a ariranha e os botos que fazem um rebuliço nas águas do Araguaia, aves como a ema e a arara azul e ouvir o folclórico canto do uirapuru, só entre as aves são mais de 660 espécies. 

Entre os répteis é possível ver a tartaruga-da-amazônia, sucuris, jibóias e o jacaré-açu.Visita as Tribos Indígenas - Devem ser autorizadas com antecedência pela Funai, em Gurupi ou em São Félix do Araguaia . Os índios Carajás, da aldeia Santa Isabel apresentam danças típicas aos turistas. As Praias do Araguaia - Areia e sol. Falta só a água para formar uma praia. O Parque Nacional do Araguaia tem tudo isso, mas há uma diferença: a água não é salgada. As praias formadas pelos rios que cortam o parque, em Tocantins, são de água doce, mas não ficam devendo em nada para o litoral brasileiro. Na verdade, trazem algumas vantagens e desvantagens. Fica a critério do turista decidir se vale a pena conhecê-las, apesar da dificuldade de acesso. 

As vantagens são a limpeza e o visual. Se em uma praia do litoral brasileiro você encontra muitas pessoas, muito lixo - às vezes espalhado e sem tratamento - e um horizonte belo e interminável,nas praias do Araguaia é possível mergulhar na água doce,pegar uma cor na areia e observar a vegetação tipicamente amazônica, de um lado, e os contornos do cerrado, de outro. Por obra da natureza, o parque fica numa área de transição entre a floresta amazônica e o cerrado do Centro-Oeste, o que proporciona visuais interessantes. Essa diferença morfológica foi um dos fatores que fez com que o Estado, ao ser criado - na Constituição de 1988 -, fosse integrado à região Norte do país, apesar de ter se separado de Goiás. No entanto, falta estrutura de turismo ao parque, o que há de sobra na costa brasileira.

Entre os esportes que mais se adequam a este ambiente está a cnoagem, percorrer os meandros do Araguaia e do Javaés de canoa pode ser uma ótima oportunidade de ver um espetáculo a parte: o pôr-do-sol do Araguaia.

Para os amantes da pesca, a melhor época é entre setembro e abril quando os rios estão mais cheios por causa das chuvas . Entre outubro e fevereiro a pesca é proibida devido ao período de reprodução dos peixes, conhecido como Piracema. A licença de pesca é obrigatória em toda região do Rio Araguaia, mas é proibida no parque nacional.
Entre os peixes o pirarucu, o pirará, o tucunaré, o pintado e as piranhas.

O momento de descontração da pescaria no Médio Rio Araguaia merece também uma visita à maior ilha de água doce do mundo, a Ilha do Bananal. São várias as opções para se conhecer um ambiente quase único, que mistura o gigantismo da Floresta Amazônica com as belezas áridas do Cerrado.

Dica - Tenha sempre um bom repelente, pois toda a região é rica em mosquitos, inclusive o irritante mosquito-pólvora. 

Reportagem : Marcelo Russo

Voltar