Corumbá de Goiás - GO - Dez/03

Voltar

O Rio Corumbá nasce no sopé dos Picos dos Pirineus para criar, em Corumbá de Goiás, cachoeiras e praias de água doce. O relevo montanhoso da região é coberto pela vegetação rasteira, típica do cerrado. Nascido em 1730 com a exploração do ouro, o povoado só foi elevado à categoria de cidade em 1902. O município mantém bem-preservado o casario antigo. A cidade costuma hospedar também os visitantes da Caverna dos Ecos, no distrito de Cocalzinho de Goiás, a 11 km.

De topografia acidentada, as praias de água doce dentro da cidade, os morros com vegetação e espécies animais típicas do cerrado, as cachoeiras, grutas e um parque aquático completam o quadro.


Divulgação

Corumbá surgiu às margens do rio que lhe da o nome e de cujo leito brotou o ouro que deu prosperidade e progresso à cidade. Sua nascente fica no sopé dos picos dos Pirineus, na divisa com Pirenópolis. É uma grande atração para os turistas, especialmente no trecho de uma magnífica queda, a Cachoeira do Salto, de águas ricas e calmas e que formam piscinas naturais, tendo nas proximidades grutas, pedras gigantes e lagos. O acesso é feito por encostas cheias de árvores e filetes de rios com águas brilhantes que caem em cascatas. Outras cachoeiras como as cachoeiras de Monjolinho, Tapera Grande, Pai Inácio, Taquara e Pedreira, no centro de Corumbá, também oferecem atrativos aos turistas. A verde ambientação desse cenário é especialmente encantadora no meio do ano, época em que florescem os ipês amarelos, típicos da região.

Fundada em 1730 a cidade conserva até hoje seus traços coloniais nos casarões e sobrados, construídos pelos bandeirantes em busca de ouro. O rio Corumbá com suas águas claras e suas inúmeras cachoeiras é ideal para a prática de canoagem. O Salto de Corumbá é uma das grandes atrações turísticas, pela sua beleza selvagem e natural. Próximo à cidade, outros locais que merecem ser visitados: Cachoeira do Monjolinho, Tapera Grande, Pai Inácio, Taquara e Pedreira.

Em Corumbá de Goiás o visitante pode apreciar também a Igreja Matriz de Nossa Senhora da Penha de França. Construída entre 1774 e 1880, possui belas pinturas e imagens, entre elas a imagem de Nossa Senhora da Penha, padroeira da Cidade, em tamanho natural. A Ponte sobre o Rio Corumbá, com 110 metros de comprimento e toda de madeira, é outra curiosidade. Por fim, visitar o Sobrado de Áurea Fleury é conhecer o primeiro estabelecimento comercial, que funcionou também como sede regional da Guarda Nacional e Juizado de Órfãos.

Corumbá de Goiás tem outros destaques para o turista, como o Lago de Corumbá, formado pelo represamento do rio Corumbá. O local se transformou em um importante lago de água doce, onde é possível a prática de modalidades esportivas aquáticas, um bom passeio de lancha, pescarias e banhos. No Morro dos Pireneus as cascatas que surgem em meio à vegetação de cerrado e uma capela que existe no alto da colina fazem dali mais uma vista encantadora. E em Salto Corumbá está um dos maiores empreendimentos de ecoturismo da Região Centro-Oeste. Um conjunto de cachoeiras, rios, praias e morros proporciona ao visitante um cenário de beleza inesquecível, com estrutura de hotéis e restaurantes. A maior cachoeira tem queda superior a 60 metros.

Passeios:

Salto de Corumbá - Nas caminhadas possíveis, tem uma em direção ao Salto de Corumbá em um trajeto de 800 metros acidentado com vegetação rasteira que leva à cachoeiras com 6 quedas d’água (a maior tem 68 metros de altura). Depois pode-se ir na Gruta Corumbá. A partir da entrada para a trilha do salto, pode-se caminhar por 1 km rio abaixo por terreno plano de rápida transposição. Na gruta, há uma queda d’água de 80 metros em um poço onde se pode nadar em águas claras, mas geladas. É aconselhável o uso de coletes salva-vidas por causa da correnteza forte. Não é obrigatório o acompanhamento de guias.

Caverna dos Ecos - Para os aficionados pelo ecoturismo ou turismo de aventura a região oferece a Caverna dos Ecos a 50 Km da sede do Município. Ela foi descoberta em 1976 e tem 1.725 metros de extensão e 150 metros de profundidade possui o maior lago subterrâneo da América Latina. As águas claras do lago produzem uma beleza incalculável. Dura, em média, cinco horas a caminhada por dentro da caverna. É obrigatório o acompanhamento de um guia que cobra por volta de R$10,00 por pessoa. O turista deve agendar, no mínimo, 7 dias antes da viagem. É possível praticar rapel na caverna, mas o interessado deve combinar com o guia ao programar a visita.

Outros Links para Matérias em Goiás:
- Alto do Paraíso

- Caldas Novas
- Parque Nacional das Emas
- Chapada dos Veadeiros

Reportagem: Pedro de Mendonça

Voltar