Desert Cup - Jordânia - Nov/02

Voltar

Para os apaixonados por corridas de aventura e longa distância, será realizada a ultramaratona Desert Cup, uma peregrinação de 168 quilômetros no deserto da Jordânia, na qual será preciso administrar a dor, o cansaço, a comida e a bússola.

A maratona acontece anualmente e nesses 168Km de trekking, os competidores enfrentarão no deserto um terreno acidentado, areia, condições extremas de vento e variações de temperatura. A edição de 2001 contou com 230 competidores de 20 países diferentes que têm em comum uma única causa: amor ao esporte de aventura. É por esse amor e por outros desafios que esses "aventureiros" resolveram participar dessa corrida que acontecerá entre os dias 3 e 9 de novembro. Pela primeira vez o Brasil será representado nesta maratona.

A prova, que acontece pela terceira vez, é praticamente um rali humano. A começar pelo trajeto, quase todo sobre a areia. Se já é difícil correr no asfalto por 48h, parando pouco um pouco para dormir e se alimentar, é quase impossível imaginar todo esse esforço num terreno irregular, que inclui ainda trilhas onduladas na montanha e 570 degraus logo de início. E, pior, carregando uma mochila de 8 quilos nas costas, com alimento, lanterna, saco de dormir e mapa.

Uma das maiores dificuldades dos corredores da Desert Cup será comer direito para manter o pique. Cada competidor é obrigado a levar 2 mil Kcal para cada 24h de percurso, mais uma provisão que deve ir lacrada para casos de emergência. A estrutura da prova inclui apenas água.

Além dos limites orgânicos, ninguém consegue passar dois dias à base de cereais em barra ou em gel. Para estimular o paladar, nutricionistas irão colocar nas mochilas certa quantidade de batatas fritas, risotos desidratados, leite condensado em bisnaga e outras guloseimas.

O esporte como estilo de vida

O esporte de aventura conquistou público, imprensa e patrocinadores em apenas alguns anos e cresce vertiginosamente no Brasil e no mundo. Amplamente divulgado, tem gerado um grande e novo campo para indústrias e prestadores de serviço. Disputadas em equipes as maratonas agregam novos e interessantes conceitos: qualidade de vida, real contato com a natureza, planejamento estratégico e principalmente, o desafio da convivência, lidando ao mesmo tempo com forças e fraquezas humanas. A superação de limite físico e psicológico de cada atleta atrai a atenção do público e imprensa. A partir desse interesse, divulga-se não apenas um esporte, mas um novo estilo de vida: o estilo outdoor de se vestir, praticar esportes, conviver socialmente e até fazer turismo.

O Evento

Considerada como uma das maiores provas de trekking do mundo, o Desert Cup está em sua terceira edição. As fronteiras com a Síria, o Iraque, a Arábia Saudita e Israel, e seus eternos conflitos, não significam problemas à equipe. O rei da Jordânia, também esportista, cuida pessoalmente da segurança da prova e oferece suas terras para os atletas completarem o difícil percurso. Para os demais atletas, o grande desafio é manter a solidariedade e amizade até o final, e claro, completar todo o percurso.

A Jordânia é uma terra de contrastes, um mosaico de paisagens, um jogo do ludo, onde vocês saltam sempre de casa, montanhas desertas e íngremes, desertos de pedras.

Para brasileiros que desejam se aventurar na Jordânia e na Desert Cup

A Jordânia é o país pacífico e um dos mais seguros: nada de roubos, de pedintes, de anárquicos, nenhuma violência...a confiança é total por toda parte. Muitos potenciais turistas confundem Jordânia e Cisjordânia: aqui, nada de metralhadoras, de tanques ou de soldados, os policiais são bonachões , os jordanianos calorosos e engraçados ... o turismo jordano tem dificuldade em se desenvolver, infelizmente, mas aproveitem logo, porque bem cedo este país, de longe tão bonito quanto o Egito (e obviamente menos caro) ficará poluído de ônibus com ar condicionado!

A Jordânia se aprecia com toda tranquilidade, poucos turistas aventuram-se sozinhos, encontram-se apenas grupos com guias. Os jordanianos gostam que vocês venham visitá-los sozinhos e sem guia, e adoram lhes ajudar. Se vocês não chegam em ônibus de turismo, não são turistas, mas hóspedes !

A taxa de câmbio é boa, porém não partam para a Jordânia com a moeda do seu país, mas com dólares americanos, é a moeda oficial que abre logo todos os sorrisos. Vocês retirarão os dinares jordanianos nos caixas eletrônicos com o Visa: existem deles por toda parte, até na província.


Petra

O treinamento das equipes que pretendem disputar a prova deve ser intenso e diário. Como no Brasil não há deserto, os treinos são realizados em praias de areia fofa que possibilitam uma simulação próxima ao terreno que será encontrado na Jordânia. Daqui até lá são dois meses de preparação física e psicológica para a prova. Eles têm que treinar a aclimatação (adaptação fisiológica que o organismo humano precisa para suportar condições ambientais adversas), o que aqui é muito diferente. O Brasil não tem um clima tão quente e seco, com uma variação muito grande de temperatura no mesmo dia e para esse treino, os brasileiros estão podem escolher alguns lugares que exijam maiores esforços neste sentido. O treinamento em praias do litoral paulista como Maresias, por exemplo. Debaixo de sol quente e forte ou com a água na altura do joelho para se aproximar do esforço de um trekking no deserto.

Detalhes da Corrida

  • Inscrição: Individual ou equipes de três pessoas

  • Corrida a pé

  • Sem paradas

  • Auto-suficiente em comida e equipamentos

  • Race done at one’s own pace

  • Tempo máximo permitido: 62 horas

  • Altitude: 1540 metros

  • Checkpoints: thirteen (13)

  • Provisão de emergência (obrigatórios): 2000 calorias, um litro de água mineral

Terreno

Calorias Perdidas

Rankings

  • 104 kilômetros de areia
  •   23 kilômetros de trilhas acidentadas
  •   41 kilômetros de trilhas em montanhas
  • Distância total de 168 kilômetros
  • Chegada na antiga vila de Petra
  • 24 Horas: 2000 Calorias
  • 36 Horas: 3000 Calorias
  • 48 Horas: 4000 Calorias
  • 62 Horas: 5000 Calorias
  • Geral
  • Mulheres
  • Equipe
  • Veteranos

Dados do País

JORDÂNIA, Estado do Médio Oriente com a área de 89 206 km2 e uma população de 3 800 000 h. Capital: Amã. Língua: árabe. Religião: islamismo. Geografia - A O a Jordânia ocupa a parte oriental da Palestina, cortada por cursos de água que desaguam no rio Jordão e no mar Morto; a NE confina com o Iraque e o deserto da Síria; a S e SE o deserto confina com a Arábia Saudita saída para o mar Ver melho através do golfo de Aqaba. A popu lação localiza-se sobretudo no NO. A agricultura e a pecuária são os principais recursos económicos. O subsolo contém fosfatos e algum petróleo. Cidades: além da capital, Az Zarqa, Irbid, As Salt, Aqaba. O povo, na sua grande maioria, é árabe. História - Desde o séc. XVI o território da Jordânia entrou a fazer parte do império turco. Sob mandato britânico a partir de 1916, constituiu-se em 1920 o reino da Transjordânia, tendo por soberano Abdula, não tendo então mais de 100 000 h. A Inglaterra concedeu-lhe independência em 1946, passando o país a designar-se em 1949 o Reino Hachemita da Jordânia. Assassinado Abdula em 1951, sucedeu-lhe no trono seu neto Hussein. Têm sido desastrosos para a Jordânia os conflitos israelo-árabes: com a Guerra dos Seis Dias (1967) viu-se amputada de Jerusalém e da Cisjordânia (com os seus 5400 km contribuía com 40% da produção agrícola, 20% da produção industrial e 50% do turismo) e com uma sobrecarga de refugiados palestinianos (ao todo serão c. um milhão). Em 1988 a Jordânia renuncia a qualquer domínio legal e administrativo sobre a Cisjordânia e em 1993 iniciam-se negociações com Israel com vista a regularizar as relações entre os dois países.

País árabe cuja fronteira mais extensa se faz com Israel, é considerado um dos mais ocidentalizados do Oriente Médio. Mesmo constituída de desertos em 80% do seu território, a Jordânia exporta alimentos aos países vizinhos. Possui saída para o mar assegurada pelo Porto de Ácaba, no extremo sul. O Mar Morto, rico em depósitos minerais e conhecido como a maior depressão do mundo (394 m abaixo do nível do mar), encontra-se na sua divisa com Israel. A Jordânia situa-se no Oriente Médio, na margem oriental do rio Jordão.

Reportagem: Wagner Vieira

Voltar