Ilha de Marajó - PA - Ago/01

Voltar

Esta Ilha do Pará, maior que os estados do Rio de Janeiro, Alagoas e Sergipe, é uma mistura de ilha fluvial e ilha oceânica, pois ao norte, é banhada pelo Atlântico. A Ilha de Marajó guarda muitas belezas e curiosidades. Sua população de búfalos é maior que o número de habitantes e a carne do animal é um dos pratos típicos locais. Outro animal abundamente encontrado é o pássaro Guará, todo vermelho. Eles voam em bando e pousam nas lagoas encontradas na ilha.

Marajó, na foz do Rio Amazonas, é o maior arquipélago fluvial do mundo, com  aproximadamente 50.000 km2. Ele é formado por três ilhas: Mexiana, Ilha Grande de Gurupá, Caviana, um dos pontos mais atingidos pela violência da pororoca, e Marajó.

A intensidade das chuvas, que acontecem de fevereiro a maio, é tamanha que dois terços de Marajó ficam completamente alagados. Por causa dessa característica, a ilha tem hoje o maior rebanho de búfalos do país, pois esse animal se adapta bem a terrenos alagadiços.

Marajó pode ter sido o primeiro ponto do território brasileiro visitado pelos europeus da era dos Descobrimentos  em 1498, dois anos antes da expedição portuguesa de 1500 chegar a Cabrália. Mas o visitante,  o cartógrafo e navegador lusitano Duarte Pacheco Pereira  se passou mesmo pela ilha, se fez de desentendido. Pisava em território espanhol, de acordo com os limites estabelecidos pelo Tratado de Tordesilhas.

A maior ilha fluviomarinha do mundo tem várias praias com dunas de areias claras, apresentações de danças folclóricas (carimbó e lundu) e restaurantes de comidas típicas. O artesanato da região é muito rico e procurado. Nas grandes planícies são criados búfalos, que, além da carne e do couro, ainda são um meio de transporte. O relevo plano pode ser observado no trajeto até Cachoeira do Arari, onde fica o Museu de Marajó. Outra atração é se hospedar em algumas fazendas da ilha e acompanhar o dia-a-dia dos trabalhos.

Selvagem e pouco conhecida , Marajó é um dos santuários ecológicos mais preservados da Amazônia. Cavalos e búfalos são os meios de transporte mais comuns.

O arquipélago do Marajó possui 13 municípios, sendo Soure o mais procurado pelos visitantes. A ilha tem poucos restaurantes, todos bem simples. É normal o próprio dono preparar a comida e servir a mesa. As acomodações oscilam entre razoáveis e boas nos seus poucos (e disputados) hotéis e pousadas. Outra forma de conhecer Marajó é através de suas fazendas, tendo o fazendeiro como guia, para ver de perto o dia-a-dia dessas propriedades, algumas com dezenas de milhares de hectares, onde o tempo parece atrelado à natureza.

Marajó fica a poucos quilômetros de Belém e só dá para chegar até lá de avião ou barco.

Dicas para sua viagem :

-Leve em sua viagem  roupas leves, filtro solar e é aconselhável vacinar-se contra febre amarela com pelo menos 15 dias de antecedência.

-Participe do Carimbó, dança típica da região e muito agradavél, fazer um passeio de búfalo na ilha é inesquecível, vale a pena visitar o Museu do Marajó, que além das atrações do museu, possui uma particularidade que possibilita a visão completa seja qual for o angulo que esteja do horizonte.

Detalhes :
Código de Discagem Direta à Distância (DDD): 91
Código de Endereçamento Postal (CEP): 66053-000
Unidade da Federação: Pará
Área: aproximadamente 50.000 km²
População: cerca de 250.000 habitantes
Distância de referência: Belém – 87 km
 

Reportagem : Marcelo Russo

Voltar