Petar - SP - Dez/02

Voltar

Turismo ecológico atrai turistas de todo o mundo ao PETAR

O PETAR foi criado em 1958, sendo um dos Parques mais antigos do Estado de São Paulo. Sua área de 35.712 hectares abriga o valioso patrimônio natural da Região do Alto Ribeira composto por sítios paleontológicos, arqueológicos e históricos além da grande diversidade biológica característica da Mata Atlântica preservada em toda sua extensão.

Mas a maior atração do Parque é sem dúvida sua riqueza espeleológica. São mais de 250 Cavernas cadastradas o que faz do PETAR uma das maiores concentrações deste gênero no Brasil. A formação montanhosa e a densa vegetação presentes na região, funcionam como uma barreira aos ventos que vêm do Atlântico Sul, causando uma alta precipitação chuvosa. A ação da água ácida nas rochas calcáreas durante milhares de anos, propiciou a formação de cavernas com piso, paredes e tetos ornamentados por inúmeros espeleotemas (estalactites, estalagmites, colunas, cortinas, etc.). No PETAR são encontradas cavidades naturais de diferentes tipos e dimensões, sejam horizontais (chamadas de grutas ou cavernas) ou verticais (chamadas de abismos).

Considerando o PETAR, o Parque Estadual Intervales, o Parque Estadual Carlos Botelho e Estação Ecológica de Xitué praticamente como uma única área, temos mais de 200.000 hectares de mata contínua. Isto é suficiente para que possamos encontrar espécies de amplo território tais como a Onça-pintada, o macaco Mono-carvoeiro e o Gavião-real. Porém é bastante difícil encontrar esses animais nas trilhas e lugares turísticos mais freqüentados.

Além destas espécies encontramos ainda no parque mamíferos como o Veado-mateiro a Irara e a Lontra. Inúmeras espécies de aves como o Papagaio-peito-roxo, a Jacutinga e outros pássaros de vários tipos.

A riqueza cultural da região é muito marcante. Artesanatos (cerâmica, cestarias, entalhes em madeiras), festas e comemorações tradicionais, assim como grande conhecimento de plantas medicinais, evidenciam um profundo enraizamento das comunidades que aí se instalaram. Sítios arqueológicos e históricos remontam uma história de quase 10.000 anos de ocupação humana.

As cidades de Iporanga e Apiaí são marcos históricos da colonização européia. A região foi considerada Reserva da Biosfera pela UNESCO, confirmando-a como patrimônio da humanidade. Pela generosidade de atrações naturais é possível praticar no PETAR várias atividades ao ar livre. Obedecendo a locais adequados dentro do parque, critérios e técnicas para cada atividade o visitante pode praticar seu esporte predileto como: espeleologia, rapel, trekking, bóia cross e mountain bike.

Existem no PETAR quatro núcleos para visitação:

Núcleo Santana

O Núcleo Santana está localizado a 3 Km do Bairro da Serra em Iporanga. Este núcleo é cruzado pelo Rio Betari que é um afluente do Rio Ribeira de Iguape e recebe as águas de várias cavernas vivas. Seu leito é bastante pedregoso e acidentado e as águas de uma transparência sem igual. Próximo à entrada do Núcleo Santana encontramos um quiosque, onde iniciam-se as trilhas que levam às cavernas distantes, dentre elas a trilha para a Caverna Água Suja é uma boa pedida, pois vai margeando o Betari em quase toda sua extensão. O interessante, é que você deve cruzá-lo até chegar à Caverna, e se desejar continuar, a trilha vai bem adiante até as magnificas cachoeiras das Andorinhas e Betarizinho.

Além da Caverna da Água suja, e mais próximo à entrada do Parque pode-se visitar também a Caverna Santana, que dá nome ao Núcleo e é sem dúvida a mais requintada em formações e labirintos. Ainda próximo à entrada está a Caverna Morro Preto, a qual cansa um pouco o explorador pela ladeira que têm-se de subir até chegar à sua entrada, mas a escalada realmente compensa. Diz-se que quando do descobrimento desta caverna, foram encontrados vestígios de habitação pré-histórica da mesma. Certamente por estes motivos é que o Núcleo Santana é o mais visitado.

O Núcleo Santana dispõe de área de acampamento, com sanitários, lavanderia e ambulatório. Para maiores detalhes veja a seção Aonde ficar.

Núcleo Caboclos

Caboclos foi a primeira sede do Parque e localiza-se no coração do PETAR. Com relevo de planalto e altitude mais elevada, constitui-se ponto de partida para visitas em cavernas.

No Núcleo está situada a interessante Pedra do Chapéu e várias trilhas como a do Mirante e a Sete Reis que conduzem a cavernas tais como Chapéu, Aranhas, Água Sumida, Arataca, Pescaria, Desmoronada, Teminina, entre outras.

Ainda neste núcleo estão as Cachoeiras Sete Reis e Maximiniano.

O Núcleo Caboclos dispõe de área de acampamento, com sanitários e lavanderia. Para maiores detalhes veja a seção Aonde ficar.

Núcleo Ouro Grosso

Inaugurado em 98 por ocasiao das festividades do quadragésimo aníversário do PETAR, a sede do Núcleo Ouro Grosso fica junto ao Bairro da Serra e tem como atrativo principal a Caverna Ouro Grosso.

Próxima à entrada desta caverna está uma gigantesca Figueira com raízes tamanhas que pode-se passar por entre elas de pé.

Finalmente, vale dizer ainda que o Rio Betari também faz parte do cenário deste Núcleo.

Núcleo Casa de Pedra

O Núcleo Casa de Pedra conta com uma base de fiscalização e controle turístico que pode ser visto na foto acima. Do centro da cidade de Iporanga até este ponto são aproximadamente dez Kilometros em estrada de terra, que em alguns trechos possui pitorescas pontes de madeira para passagem de veículos.

A partir daqui segue-se por uma bela trilha que margeia o Rio Maximiniano chegando depois de uma longa caminhada até a Caverna Casa de Pedra.

Pela trilha encontram-se exemplares típicos da Mata Atlântica tais como Figueiras, Bromélias, Paus-Brasis e Perobas.

Imediações

O PETAR é na verdade apenas um pedaço de todo o Ecosistema do Vale do Ribeira que situado numa região privilegiada em termos de relevo e vegetação possui ainda muitas outras cavernas e atrações naturais fora dos limites do parque.

As cavernas se espalham num raio de 70Km do centro do parque, existindo muitas delas fora do PETAR, tal como a famosa Caverna do Diabo a cerca de 30Km da cidade de Iporanga.

Já mais próximo das fronteiras do parque podemos encontrar a Caverna Laje Branca, o Mirante e outras atrações.

Cavernas

Localizada fora do parque a cerca de uns 4Km da entrada do Núcleo Santana, esta caverna também tem suas particularidades.

Praticamente sem formações, o interessante mesmo nesta caverna é sua entrada. Com uns 30m de largura e cerca de 50m de altura, a parte superior da parede de pedra sobre a entrada projeta-se uns 20m para o lado de fora e dezenas de árvores ficam dependuradas lá encima sobre a parede de pedra. Um pequeno riacho também lá no alto, dissolve-se em gotículas que caem embaixo sobre a mata.
Observe a foto acima tirada de baixo para cima mostrando a projeção de pedra sobre nossas cabeças.

A Caverna do Diabo está localizada na cidade de Eldorado, a cerca de 30Km da cidade de Iporanga. Para quem vai ao PETAR pela BR116 entrando na cidade de Jacupiranga, a Caverna do Diabo está antes de se chegar à Cidade de Iporanga e do parque.

A Caverna do Diabo é sem dúvida a mais visitada do Brasil, tanto pela sua beleza incomparável como pelas facilidades instaladas.

Nesta caverna, um riacho de proporções razoáveis entra pela boca da caverna, descendo gradativamente pelo relevo acidentado.

As formações da Caverna do Diabo são imensas. Existem colunas com mais de 5m de diâmetro e 20m de altura, a parte turística está repleta de formações, a maioria de grandes proporções. Os primeiros salões chegam a ter 60m de altura.

A parte turística da caverna, cerca de 500m, possui iluminação, pontes de alvenaria e canalizações. Por um lado as facilidades instaladas na caverna permitem que qualquer pessoa possa visitá-la, mas sem dúvida são uma alteração lamentável ao ambiente da caverna. Muitos travertinos e formações foram enterrados sobre as construções e também algumas de suas formações delicadas foram destruídas por visitantes mal intensionados. As alterações na caverna já são bastante antigas, nos dias de hoje tais alterações provavelmente não seriam realizadas dada a concientização e legislação atuais.

Na foto acima pode-se observar a formação de musgo nos Espeleotemas devido à iluminação artificial.
Além da parte turística, mais de 8Km de caverna já foram explorados, o que faz com que esta seja também uma das maiores cavernas do Brasil em comprimento.

Para quem ainda não foi ao PETAR, grupos de turismo especiais prometem um passeio diferente, com muita adrenalina, diversão, beleza e além de tudo, verdadeiras aulas sobre a preservação do meio ambiente. O GETUECO (Grupo de Espeleologia e Turismo Ecológico) com sede em Sorocaba, há cinco anos promove excursões de cunho ecológico para as cavernas do PETAR incentivando a preservação e educação ambiental além de elaborar projetos de reflorestamento, lazer entre outros que tenham como objetivo a melhoria do meio ambiente.

O GETUECO promove viagens para grupo de empresas, escolas, spas entre muitos outros, seguindo o interesse de cada grupo, como desafios, educação ambiental, condicionamento físico, explicações sobre geografia, fauna e flora da região, entre outras. A empresa atende tanto a grupos, escolas ou turistas, independente do número de pessoas interessadas. Para se inscrever e participar desta aventura, acesse o site www.getueco.hpg.com.br ou escreva para getueco@hotmail.com.

Para os outros grupos, utilizam a mesma idéia de ensino, mas com prioridade de diversão e um pouco de adrenalina. O passeio consta de visitação de diversas cavernas, passando por trilhas e cachoeiras.

O QUE LEVAR NA VIAGEM !!

  • Sanduíches (de queijo, pois não estragam fácil), barras de cereais e chocolates para comer nas cavernas.

  • Sacos plásticos para trazer o lixo de volta.

  • Medicamentos de uso pessoal.

  • Lanterna + 2 jogos de pilhas reservas.

  • Máquina fotográfica, filmadora (leve um recipiente aprova d'água para colocar-los).

  • Cantil, ou qualquer outro recipiente de plástico.

  • Mochila pequena para levar os itens a cima.

  • Roupas leves, confortáveis e que mantenham-lhe aquecido e seco. Procure utilizar uma calça de agasalho, de material leve e que seque rápido tipo "tactel" (sem forro). 

  • Roupas de banho (para as cachoeiras)

  • 2 pares de tênis velhos e confortáveis, porém com solado antiderrapante, .

  • 3 pares de meias de algodão (2 para caverna, 1 para viajar). 

  • Roupa de cama (Lençol + Cobertor + Travesseiro).

  • Toalha de banho

Material cedido por : Getueco

Voltar