Segmentação do Turismo - Ago/03

Voltar

A melhor maneira de estudar e planejar o mercado turístico são por meio da sua segmentação, que é a técnica estatística que permite decompor a população em grupos homogêneos, e também a política de marketing que divide o mercado em partes homogêneas, cada uma com seus próprios canais de distribuição, motivações diferentes e outros fatores. Essa segmentação possibilita o conhecimento dos principais destinos geográficos e tipos de transporte, da composição demográfica dos turistas, como faixa etária e ciclo de vida, nível econômico ou de renda, incluindo a elasticidade-preço da oferta e da demanda, e da sua situação social, como escolaridade, ocupação, estado civil e estilo de vida. O motivo da viagem, entretanto, é o principal meio disponível para se segmentar o mercado.

Os maiores segmentos desse mercado, por afluência de turistas, são: turismo de lazer; de negócios ou compras; de eventos (congressos, convenções, feiras, encontros e similares); terceira idade ou melhor idade; desportivo; ecológico; rural; de aventura; religioso; cultural; científico; gastronômico; estudantil; familiar e de amigos; de saúde ou médico-terapêutico. Com isso, o núcleo receptor pode se preparar adequadamente para receber os diferentes públicos, atendendo os anseios e as necessidades específicas de cada nicho específico de turista. Portanto, não se pode tratar turista simplesmente como turista, pois os objetivos do turista de aventura são normalmente muito diferentes do turista de da terceira idade, assim como as suas necessidades de transporte, hospedagem, alimentação, lazer etc.

A segmentação traz enorme vantagem, como economia de escala para as empresas turísticas, aumento da concorrência no mercado, criação de políticas de preços e de propaganda especializada, e promoção de maior número de pesquisas científicas. O processo através do qual as localidades ou organizações do trade receptivo exploram oportunidades de mercado é muito diferente, para não dizer o inverso, daquele desenvolvido por operadoras, agências de viagens ou qualquer organização do trade Emissivo.

Os organismos municipais de turismo e as empresas que compõem o trade turístico local, constituem uma das bases indispensáveis do processo de desenvolvimento turístico buscando conhecer melhor um público que, em princípio, já está determinado pelos Fatores de Atratividade. É ali junto ao município que o consumidor entra em contato com o produto turístico e realiza o ato de consumo. Se a comunidade e as entidades interessadas forem bem preparadas, conscientizadas para o turismo poderão tirar grandes proveitos econômicos, sociais, culturais, ambientais entre outros. Quem deve dinamizar a comunidade e as entidades são os organismos municipais de turismo. São eles que estão em contato permanente com a comunidade e as entidades, podendo não só promovê-la, mas dar assistência no processo de encontro entre visitantes e visitados.

Autor:
Santiago Ricardo Rodrigues
Graduado em Turismo - UCS - Universidade de Caxias do Sul - Núcleo Universitário de Canela - RS; Mestrando em Turismo - Unibero - Centro Universitário Ibero-americano - São Paulo - SP; Docente da Disciplina de Meios de Hospedagem do curso de MBA em Turismo - ICPG - Instituto Catarinense de Pós-graduação - Blumenau-SC; das Disciplinas de Planejamento Turístico e Gestão de Organizações Turísticas do curso de Turismo - ASSELVI - Associação Educadora Leonardo da Vinci - Indaial-SC; e da Disciplina de Noções de Administração em Hospedagem do curso técnico em Hotelaria - Escola Sul - Florianópolis-SC.

Voltar