Como economizar em sua viagem de férias - Mai/01

Voltar

Você pode economizar um bocado numa viagem internacional, sem abandonar o conforto e os programas legais. Acredite: não é necessário privar-se de nada. Basta ouvir as lições dos viajantes experientes e incrementá-las com dicas exclusivas dos órgãos de turismo de cidades.

PLANEJAMENTO - Importante para tudo na vida, nas viagens não é muito diferente.

1 Medir o orçamento. Tudo fica mais fácil quando você sabe exatamente o quanto pode gastar. Sente-se com sua família e faça os cálculos antes de decidir onde irá passear.

2. Planeje com antecedência. Quem compra passagens antes, paga menos — sempre. A classe econômica de cada vôo é subdividida em várias categorias, cada uma com um preço. É claro que as mais baratas acabam primeiro.

3.Evite sair do país de sexta a domingo. A tarifa mais barata Rio/Miami/Rio, da Vasp, por exemplo, é US$ 625 para quem zarpa num fim de semana, mas cai para US$ 570 nos chamados dias úteis — ainda mais úteis para quem quer economizar.

4.Agir com antecedência não significa reservar a primeira passagem que aparece. Atenção nas promoções, que felizmente estão se tornando muito comuns. A United, por exemplo, divide o pagamento de vôos para os EUA em até dez vezes, sem juros.

5.Há uma época boa para se viajar. É a baixa temporada, quando as escolas estão funcionando. Ocorre duas vezes: de março a junho e de setembro a novembro na maior parte do mundo. Mas fique esperto. Toda grande cidade costuma ter suas férias e eventos, que atraem gente à beça e podem subir os preços, mesmo na baixa. É assim em outubro em Munique, com a Oktoberfest. O preço da cerveja cai a zero — mas o dos hotéis fica mais alto que os cervejeiros.

6. Antes de viajar, informe-se ao máximo sobre os lugares que pretende visitar. Isso evita roubadas. Pergunte ou, simplesmente, devore guias e revistas

7. Você não sabe como escolher entre tantas opções? Então, procure um bom agente de viagem. Ele conhece os atalhos que levam aos descontos. Claro que ganha uma parte — mas não de você! Quem paga as comissões são as empresas, mas isso não quer dizer que vá lhe empurrar qualquer coisa. Em todo caso, desconfie se o preço subir demais. Se acontecer, procure outro agente.

8. A Internet ajuda muito. A Nikkey (www.nikkey.com) é uma agência virtual e vende passagens com descontos. Há um site (www.towd.com) com links para escritórios de turismo de diversos países. Já a página de Arthur Frommer (www.frommer.com) mostra o caminho das pedras para viajar barato

9. Regra geral: os pacotes das agências (que incluem passagens, hotéis e, muitas vezes, passeios) são sempre mais econômicos. Se um deles se encaixar na maior parte de seus planos, compre.

10.Se nenhum pacote se enquadrar nas suas expectativas, ainda assim não viaje sozinho. Viajar é dividir não apenas sensações mas, também, a condução, o vinho, o apartamento do hotel e o aluguel do carro. É bem mais econômico embarcar em dupla ou com outros casais.

11. O número de estrelas de um hotel não significa tudo. Alguns endereços menos estrelados — e, portanto, mais em conta — são bem localizados e pitorescos. Considere também os hotéis na periferia ou subúrbios. As diárias custam cerca de 30% a menos. Mas, primeiro, descubra se há transporte fácil e confortável. Senão, vira roubada.

12. Os bed & breakfast (ou cama & café da manhã) são casas de família oficialmente credenciadas a hospedar turistas. Você perde um pouco em privacidade. Mas ganha no convívio com os locais e no orçamento. Leve a alternativa a sério. Principalmente porque alguns B&B são muito bem localizados.

13. Há quem torça o nariz para a palavra albergue. Cheira a coisa de mochileiro. Mas os albergues têm melhorado muito, embora persista o inconveniente dos quartos coletivos. Se você estiver com amigos, pode ser uma boa. O D'Artagnan, em Paris, tem até recepcionista que fala português. A maior vantagem é o preço das diárias, que oscila entre US$ 10 e US$ 35. Não há limite de idade para o hóspede, mas é preciso se associar à Hostelling International e pagar a anuidade de R$ 25. Se for o caso, você pode obter uma carteira internacional de estudante. Ligue para (11) 258-0388.

14. Alugar uma casa ou apartamento mobiliados tem duas vantagens. Você fica mais à vontade e tem mais acesso à população. Mas só vale a pena para famílias ou grupos, que dividam as despesas.

15. No exterior, motel significa um hotel com diárias convidativas e freqüência familiar. Na França, a rede Formule 1 cobra menos de US$ 30 por um quarto para três.