Passeio a esplanada dos ministérios em Brasília - Abr/01

Voltar

 

O Distrito Federal pode até não ser o melhor destino para umas férias, mas é um ótimo passeio de fim de semana. As atrações da cidade ficam por conta dos prédios públicos - aqueles que estamos acostumados a ver todos os dias na televisão e nas fotos dos jornais. 

 

Localizada no centro do Distrito Federal, Brasília foi construída em apenas três anos e inaugurada oficialmente em 21 de abril de 1960, no governo Juscelino Kubitscheck, com concepção arquitetônica de Oscar Niemeyer. O traçado urbanístico, em forma de avião, saiu da prancheta do arquiteto Lúcio Costa. Daí os nomes Plano Piloto, Eixo Monumental, Asa Norte, Asa Sul. Na cidade, o conceito de distância, volume e forma é diferente. Tudo parece ser perto e longe ao mesmo tempo. As avenidas largas, sem congestionamentos, sem pedestres e sem esquinas, e um lindo céu azul dão a impressão de que a cidade não é real, que parece uma imagem virtual. Chegar à cidade é fácil. A maior parte dos vôos domésticos faz escala na capital federal. Ao desembarcar no Aeroporto Internacional, a primeira parada obrigatória deve ser o guichê da locadora de automóveis. Andar a pé, só para atletas. 

Uma parada na Praça dos Três Poderes é obrigatória para quem visita a cidade, local onde as grandes decisões políticas são tomadas. Localizada na ponta do Eixo Monumental , é lá que ficam as sedes dos Poderes Legislativo (Congresso Nacional), Judiciário (Supremo Tribunal Federal) e Executivo (Palácio do Planalto). Ali também estão o Panteão da Liberdade, dedicado a Tiradentes e Zumbi; o Mastro da Bandeira - o maior do mundo, com 282 metros de altura - e o Espaço Lúcio Costa.

A torre de televisão é a maior da América Latina, com 224 metros. Por um elevador, chega-se a uma altura de 75 metros, equivalente a um prédio de 25 andares. É o suficiente para ter uma visão geral do Plano Piloto e do Parque da Cidade, o maior parque urbano do mundo. Ao redor da torre, desde 1970, nos fins de semana, funciona uma feira de artesanato. Brasília abriga também inúmeros museus - de Gemas, da Imprensa, da Empresa de Correios e Telégrafos, da Caixa Econômica Federal e das Artes, entre outros. Claro que todos têm sua importância e merecem ser vistos, mas em um fim de semana não é possível conhecer tudo. 

O Memorial JK é um dos pontos que não se pode deixar de visitar. Foi construído com o dinheiro de uma campanha organizada por Sara Kubitscheck, logo após a morte do marido, em 1976. Nele, em um ambiente um tanto sombrio, estão os restos mortais do presidente, além de objetos pessoais e documentos históricos. A grande atração do museu é a fiel reconstituição da biblioteca original de JK no Rio, com 3 mil volumes, incluindo uma coleção completa de Shakespeare, presente da Rainha Elizabeth II. Ingresso: R$ 2,00.

Reportagem: Yoko Nakamura

Voltar